NEWS

  • agênciamam

Ler para uma criança desperta a imaginação e incentiva o futuro leitor

A hora de leitura em voz alta é um momento para despertar a imaginação e uma excelente oportunidade para estreitar vínculos entre pais e filhos

O hábito de ler para uma criança deve começar desde os primeiros anos de vida. É importante, para o desenvolvimento do pequeno, ter uma aproximação com textos narrativos mais complexos, como os literários. Neste momento, o que mais importa é o contato com a língua, com a sonoridade, sua musicalidade e a riqueza da construção da linguagem verbal.


É importante que que quem estiver lendo em voz alta também desfrute da história. O adulto que estiver conduzindo essa leitura, deve proporcionar momentos agradáveis, mostrando as ilustrações e estimulando a conversa com as crianças.

“A criança percebe inicialmente o livro como um objeto e, a partir daí, as palavras e as imagens começam a ser descobertas. É nesse momento que começa a construção do leitor que ainda não aprendeu a ler”, diz Mariana Bruno Chaves, formada em Letras pela Universidade de São Paulo e responsável pelo setor pedagógico do Kumon.


A princípio, nos primeiros contatos com os exemplares, as crianças não permanecem muito tempo sentadas e passam as páginas a sua vontade. Para elas é uma situação nova, portanto é importante não chamar a atenção e deixar que pouco a pouco se familiarizem. Durante essa etapa, é muito importante para a criança ouvir leituras de histórias com frequência, pois será o momento de encantamento com o livro.


As crianças com idades entre 0 e 2 anos aprendem palavras novas com grande rapidez. Nesta fase são indicados títulos que tratam temas cotidianos, como: animais, transportes, objetos do dia-a-dia.


“A primeira infância é um excelente momento para despertar o interesse da criança pela leitura, porém é preciso controlar a ansiedade: se a criança se interessar por uma ilustração, deixe que ela a aprecie. Também é fundamental ler pausadamente, pronunciando de maneira clara cada palavra”, aponta Mariana.


· 6 meses de idade

Bebê é capaz de manusear livros cartonados, de pano ou plástico, mas em geral leva-os imediatamente à boca. Se a criança se mostrar um “leitor” demasiado voraz, buscando tomar o livro para si o tempo todo, uma opção é dar a ela um objeto para manipular enquanto o adulto lê em voz alta para ela. Embora esteja brincando com o objeto, ela estará absorvendo o que escuta.


· Até 18 meses

São indicados os livros cartonados, de pano ou de plástico, não só porque resistem ao instinto de levar tudo à boca e às investidas das mãozinhas, mas também por serem mais fáceis de manusear. Uma criança de 18 meses, por exemplo, ainda não é capaz de folhear um livro com páginas de papel de baixa gramatura. Para facilitar o manuseio, opte por livros pequenos.


· Mais de 18 meses

Dê preferência aos textos rimados (poesias, parlendas e letras de canções folclóricas) e ricos em repetições. Isso porque, em geral, as crianças não conseguem compreender todo o contexto em apenas uma leitura. Primeiro elas se interessam pela parte que compreenderam e, conforme a mesma história se repete, elas compreendem todo o restante.


agênciamam - Assessoria de Imprensa do Kumon

Ana Cristina Velasco | ana@agenciamam.com | +55 11 3881-8882 ramal 25 |

+55 11 98180-2096 Mariana Franceschinelli |​ mariana@agenciamam.com

194 visualizações

+55 11 3881-8882
Al. dos Maracatins, 1217 - CJ 303

Indianópolis - São Paulo - SP - CEP 04089-014

FIQUE POR DENTRO

Cadastre-se e saiba tudo o que acontece na agênciamam.

Termos Privacidade © 2019   agênciamam assessoria de imprensa & relações públicas